Quarta-Feira, 15 de Agosto de 2018
Twitter Notícias na Web
Blog Notícias na Web

Aécio diz ser vítima de ataques covardes ao decidir ser candidato à Câmara

03/08/2018 - Política
Sob acusações de que sofre "ataques violentos e covardes", o senador Aécio Neves (PSDB-MG) anunciou nesta quinta-feira (2), em carta, que se candidatará à Câmara dos Deputados por Minas Gerais.

 Sob acusações de que sofre "ataques violentos e covardes", o senador Aécio Neves (PSDB-MG) anunciou nesta quinta-feira (2), em carta, que se candidatará à Câmara dos Deputados por Minas Gerais.

A declaração acontece a três dias do prazo final que os partidos têm para informar à Justiça Eleitoral os respectivos candidatos. A convenção nacional do PSDB que deverá confirmar a candidatura do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, à Presidência da República acontecerá neste sábado (4).

Em abril deste ano, a 1ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) aceitou a denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da República) contra o senador sob acusação crimes de corrupção passiva e obstrução de Justiça. Com a decisão, o tucano se tornou réu pela primeira vez.

Inicialmente, Aécio cogitou tentar se reeleger ao Senado ou até mesmo não participar das eleições deste ano. No entanto, acabou optando pela Câmara dos Deputados, para a qual são necessários menos votos para se eleger do que o Senado.

"Com o objetivo de ampliar o campo de apoio à candidatura que melhor atende ao projeto de reconstrução de Minas, a do senador Antonio Anastasia, informei a ele, hoje, minha decisão pessoal de não disputar, este ano, a eleição para o Senado, colocando meu nome como pré-candidato à Câmara dos Deputados, Casa que já presidi e onde, como líder partidário, à época do governo Fernando Henrique, ajudei a implementar algumas das principais reformas feitas no Brasil contemporâneo", afirmou Aécio na nota.

No texto, Aécio diz que a decisão "não foi fácil", mas ressalta ter "dedicado a vida a defender os interesses de Minas e dos mineiros" e a crise do estado "exigirá uma bancada forte e unida".

Ainda na nota, o senador afirma que "todos conhecem os ataques violentos e covardes" de que tem sido alvo e que "diariamente as falsas versões engolem os fatos". Ao final, porém, diz que "a verdade prevalecerá" e que é inocente de todas as acusações.

Em 2014, Aécio recebeu mais de 51 milhões de votos na eleição para presidente da República. O senador tucano perdeu o segundo turno para a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que obteve 51,64% dos votos válidos --ele recebeu 48,36%.

Com a desistência de disputar o Senado, Aécio evita uma repetição do confronto direto contra Dilma, que deve ser confirmada como candidata do PT ao Senado por Minas Gerais em convenção no próximo final de semana.

A denúncia contra Aécio teve como base a delação de executivos da J&F, divulgada em 2017, na qual Aécio foi flagrado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista. Nas gravações, Aécio afirma que o dinheiro seria usado para pagar despesas com advogados.

Fonte: Bol
Notícias na web © 2018
Melhor visualizado na resolução 1024 X 768
Desenvolvido por:
Doway - Soluções Dinâmicas Web