Segunda-Feira, 23 de Outubro de 2017
Twitter Notícias na Web
Blog Notícias na Web

Usar celular com tela quebrada pode ser uma má ideia

18/07/2017 - Tecnologia
Alguma vez na vida você já se deparou com algum amigo seu com a tela rachada do celular, mas ele continuou usando o aparelho como se nada tivesse acontecido --isso se não foi você mesmo essa pessoa.

 Alguma vez na vida você já se deparou com algum amigo seu com a tela rachada do celular, mas ele continuou usando o aparelho como se nada tivesse acontecido --isso se não foi você mesmo essa pessoa. E de fato, fora a marca no vidro, a tela continuou respondendo novamente aos comandos. Se é assim, "para que gastar dinheiro no conserto?", deve pensar quem faz isso.

A resposta é: porque você pode estar comprometendo a "saúde" do seu celular sem saber. Pelo menos é o que defendem os técnicos das assistências de smartphones consultados pela reportagem do UOL Tecnologia.

Vamos por partes. Em primeiro lugar, por que uma tela sensível ao toque (touchscreen) continua funcionando, mesmo trincada, rachada ou até espatifada?

"O display de LCD do celular vem colado a uma tela de vidro temperado. Muitas vezes o vidro da tela trinca toda, mas o display interno permanece intacto", explica Wissam Atie, proprietário da assistência Rei do iPhone, em São Paulo.

Mas o fato de continuar funcionando não quer dizer que o usuário não esteja em um comportamento de risco se seguir usando o celular do jeito que está. Dependendo de cada caso, a rachadura deixará o celular mais exposto à ação do tempo. poderá fragilizar mais a tela -- e o resto do telefone -- e até trazer risco à saúde.

"Além de prejudicar a estética do aparelho, o trincado pode enraizar e trincar mais. A falha também solta farelos de vidro, que podem machucar não só as mãos do usuário, fazendo microcortes, como também o ouvido", diz Daniela Marinho, proprietária da Conserta Smart, rede com mais de 300 assistências técnicas pelo país.

É claro que arranhões muito discretos e superficiais não são caso para conserto imediato, mas algo além disso já requer atenção. "Não há como definir padrões 'aceitáveis' para a utilização de um celular com tela quebrada pois cada caso é único. Se for um trinco não muito profundo, dá para usar sim, mas fica mais propício a quebrar e falhar com mais rapidez", explica Atie.

"A partir do momento que trinca, aconselho que troque. O ideal é que a tela esteja sempre inteira. Pode não apresentar nenhum problema a princípio, mas com o tempo pode avariar o 'touch' no canto onde está a rachadura, mexer na visualização das letras", exemplifica Daniela.

Celulares com o vidro resistente Gorilla Glass, que na teoria deveriam ter uma proteção extra, podem até mesmo confundir um usuário se ocorrer um acidente e causar uma falha interna. "Essa é uma película de espessura mais grossa, que dizem que não quebra. Mas mesmo assim, o display interno pode quebrar em uma queda, e o vidro intacto não ajuda muito nesse caso", diz Atie.

Se o motivo que te faz não recorrer ao conserto é o dinheiro, Daniela afirma que uma troca de tela vale a pena na maioria dos casos. "Tem trocas que não custam nem 20% a 30% do preço do aparelho. Até 50% do valor ainda é válido".

 

Fonte: Bol
Notícias na web © 2017
Melhor visualizado na resolução 1024 X 768
Desenvolvido por:
Doway - Soluções Dinâmicas Web